Setor de festas comemora alta na procura por eventos online

Dois tipos de comemoração estão em alta: o chá de revelação do sexo do bebê e os mêsversários.

O setor de festas e eventos patinou no começo da pandemia do coronavírus, mas muitos empresários deram a volta por cima. Quem salvou o segmento foram as comemorações dentro de casa, acompanhadas pela família e amigos pela internet.

Dois tipos de festas específicas deram ao setor a chance de continuar tendo receita nesse período: os chás revelação do sexo do bebê e os mêsversários, a comemoração mensal do aniversário.

“Na pandemia, a gente percebeu que eles não pararam. Porque é diferente de um aniversário, se você não fez esse ano, faz no próximo. Um chá revelação não tem outra saída, ou você faz ou não faz”, afirma a consultora Andréa Valdívia.

Dona de uma loja de balões personalizados em São Paulo há quatro anos, Bruna Garcia viu o faturamento chegar a zero no começo da pandemia. Mas não demorou para se reinventar ao perceber o potencial dos produtos que vende.

“Fizemos movimentos de que balões poderiam fazer a diferença na vida das pessoas e aí minha empresa cresceu 70% na pandemia”, afirma Bruna.

O que teve destaque na loja foi a caixa surpresa com balões para o chá revelação do sexo do bebê. São menos balões, um formato bem mais compacto do que o das festas tradicionais, mas o suficiente para comemorar com amigos e familiares de forma virtual.

No mesmo ramo de festas, Lorena Albarici, que faz doces personalizados, também focou em chás revelação e mêsversários. O número de entregas por festa caiu, mas ela conquistou mais clientes.

“Antes eu fazia bastante doce com uma quantidade menor de festas. Agora inverteu, conquistei novos clientes e consigo atender mais pessoas”, conta Lorena.

Na empresa dela, a procura por doces para festas em casa aumentou 40%. “Teve até comemoração do primeiro dentinho da criança, nunca tinha feito doce para esse tema especifico”, diz.

O aprendizado que fica para o empresário do setor de festas é apostar em inovação.

“É necessário inovar e se profissionalizar. Buscar entender o que está fazendo e usar bons materiais”, orienta a consultora Andréa.

Fonte: PEGN