Professor de Águia Branca perde, em 15 dias, esposa, pai, irmã e tio para a Covid-19

Em Águia Branca não é difícil encontrar quem já perdeu um amigo, vizinho, ou familiar para a Covid-19. A taxa de mortalidade do município é de 38,42 óbitos/10 mil habitantes.

Em 15 dias o professor Valdecir Lotério viu a morte da esposa, da irmã, do pai e de um tio. Em casa, ele ficou somente com os dois filhos pequenos.

Segundo Valdecir, o primeiro a morrer foi o tio, Augusto Lotério, de 63 anos, em 14 de março. Seis dias depois, o pai, Osvaldo Lotério, de 80 anos, que também não resistiu à Covid-19.

No dia 28 de março, Valdecir perdeu a irmã Elizangela Lotério, de 40 anos. Ela tinha atuado como secretária de Saúde e Educação na cidade. Dois dias depois, Jaqueline, esposa de Valdecir, morreu aos 41 anos.

“Era uma situação que eu não imaginava. Perder uma pessoa já é difícil, imagina então perder quatro pessoas em 15 dias. O que mais me dói são as crianças, que só perguntam pela mãe e as vezes pela tia”

Fonte: A Gazeta