Homem que causou acidente fatal em Aracruz é condenado a mais de 45 anos de prisão

Na época do caso, havia a suspeita de que outras duas pessoas teriam participado do crime, mas isso foi refutado pela justiça, que concluiu que ele foi o único responsável.

Yago Luan Sobral Conti foi condenado nesta quarta-feira (13) a uma pena de 45 anos e quatro meses de reclusão, por causa um acidente com morte em março de 2018, em Aracruz. O acusado estava fugindo com um veículo roubado, quando perdeu o controle e invadiu a contramão. 

No dia 17 de março de 2018, o suspeito armado, roubou o carro de uma mulher e fugiu em alta velocidade pela ES-010. Durante a fuga, Yago que não possuía carteira de habilitação e tem uma deficiência no braço direito, perdeu o controle do veículo, entrou na contra mão e colidiu com o carro da vítima Eliane Izidio de Melo que morreu na hora. Além dela, o filho que na época tinha 15 anos, também estava no carro e teve lesões graves. 

Yago foi encontrado na parte de trás do carro e teve ferimentos. Na época do caso, havia a suspeita de que outras duas pessoas teriam participado do crime, mas isso foi refutado pela justiça, que concluiu que ele foi o único responsável. 

Em juízo, o acusado confessou o roubo do carro, mas negou que estava dirigindo o veículo. Entretanto, o filho de Eliane, sobrevivente do acidente e a dona do carro roubado o reconhecerem. Além disso, para a justiça, Yago estava no banco de trás porque tentava fugir do local, já que seus sapatos foram encontrados no banco do motorista e seus machucados apontam que ele estava mais vulnerável, ou seja, na parte da frente. 

Durante o julgamento, os jurados entenderam que o acusado assumiu o risco de gerar consequências fatais, ao dirigir o veículo roubado, sem carteira. A justiça condenou Yago a 45 anos e 04 meses de reclusão, pelos crimes de homicídio qualificado, praticado para assegurar a prática do crime de roubo, homicídio qualificado tentado, dirigir sem CNH e roubo com maior gravidade, já que ele cometeu o crime armado e utilizando de ameaças. 

Fonte: Folha Vitória