O Conselho Regional de Enfermagem do Espírito Santo (Coren-ES) denunciou o uso de máscaras que, segundo o conselho, não protegem devidamente os profissionais contra o novo coronavírus. O Coren afirma que as máscaras inadequadas foram encontradas em três hospitais da rede pública do Estado, em fiscalizações realizadas pelo órgão.

Slider

A presidente do Coren-ES, Andressa Barcellos, conta que o problema foi identificado pela primeira vez há duas semanas, durante uma fiscalização de rotina no hospital João dos Santos Neves, em Baixo Guandu, no noroeste do estado. Segundo ela, os profissionais de enfermagem usavam uma máscara, que, apesar de ser do tipo N95, não possuem a mesma especificação para uso no contato direto com pacientes infectados com a covid-19. 

A diferença está nas alças da máscara. Segundo o Coren, elas não podem ser do tipo que prende atrás da orelha, e sim na cabeça, o que garante maior fixação. A presidente do conselho afirma que, usando esse tipo de máscara, os profissionais estão expostos ao risco de contágio do coronavírus.

“Elas não vedam a face, então a gente acaba tendo contato com o meio ambiente. E o profissional que presta assistência à covid está exposto a uma carga viral muito grande. O risco é de que os profissionais se contaminem e que também disseminem a doença entre pacientes que estão na instituição e que não tenham covid”, destacou Andressa Barcellos.

De acordo com a presidente do Coren-ES, havia cerca de 4 mil máscaras no estoque do hospital. Além disso, novas fiscalizações descobriram o uso da mesma máscara nos hospitais Antônio Bezerra de Farias, em Vila Velha, e nas unidades do Hospital Infantil de Vitória.

Andressa Barcellos disse que o conselho informou à Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) sobre a situação no último dia 15. Segundo ela, além dos três hospitais fiscalizados, o Coren recebeu denúncias de que outros hospitais da rede pública do Espírito Santo estariam fornecendo máscaras irregulares para os profissionais de enfermagem.

“Nós tivemos uma fiscalização no hospital Milena Gottardi, que fica em Bento Ferreira (Vitória), e estivemos no Antônio Bezerra de Farias. E nessas duas instituições, a gente também encontrou esse mesmo estilo de máscara sendo utilizado por esses profissionais”, frisou a presidente do Coren-ES.

Por meio de nota, a Sesa informou que a rede assistencial tem recebido todos os equipamentos de proteção individual (EPI’s) necessários para os profissionais que trabalham no enfrentamento da covid-19. Esclareceu ainda que as máscaras adquiridas pela secretaria são devidamente registradas na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A Sesa acrescentou ainda que algumas máscaras utilizadas no Hospital Estadual Infantil Nossa Senhora da Glória, o Hospital Infantil de Vitória, se tratam de doações do Ministério da Saúde.

Fonte: Folha Vitória