Começam articulações políticas para nova eleição em Boa Esperança

Após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) negar o recurso do candidato mais votado a prefeito de Boa Esperança, Romualdo Milanese (Solidariedade), e manter a decisão do Tribunal Regional Eleitoral do Espírito Santo (TER-ES) de anular os votos recebidos em 2020, Boa Esperança terá nova disputa eleitoral.

E dois grupos políticos começam a se articular no município para concorrerem ao pleito. O ex-prefeito, Lauro Vieira (PP), já afirmou que pode entrar no jogo. Há também a tendência de que a esposa de Romualdo, Fernanda Milanese (Solidariedade), seja escolhida para encarar as urnas.

A eleição suplementar deve acontecer ainda em 2021. A data deve ser estabelecida de acordo com o calendário das eleições suplementares do TSE.

Enquanto a questão não é resolvida, o município segue sendo conduzido pelo presidente da Câmara, Renato Barros (Solidariedade), que é aliado de Romualdo Milanese.