Capixaba de Linhares realiza sonho de passar na PRF, mas morre sem saber que foi aprovado

Um capixaba de 38 anos, que alcançou um dos maiores sonhos da vida — o de passar no concurso da Polícia Rodoviária Federal (PRF) — faleceu de Covid-19 na última sexta-feira (11) sem saber que, na terceira e última tentativa, havia sido aprovado. A história é de Juliano Ribeiro Peruchi, nascido em Linhares.

Segundo João Carlos Peruchi, irmão de Juliano, ele, atualmente, morava em Sorocaba, em São Paulo, e trabalhava como representante comercial. “Moramos na Serra a vida inteira. O Juliano tinha um sonho de infância em ser um PRF. Tentou por três vezes e, nessa última semana, foi aprovado”, disse.

Infelizmente, não deu tempo de Juliano saber da notícia da aprovação. João conta que o irmão ficou um tempo sem viajar para o Espírito Santo justamente para se dedicar aos estudos. Após fazer a prova do concurso, ele, então, resolveu vir ao Estado para rever a família.

“Todos se encontraram na casa de mamãe para se ver, meus pais já tinham tomado a vacina. Depois desse dia, 12 pessoas da família testaram positivo para Covid-19. Ele acabou passando muito mal e foi internado onde morava, em Sorocaba”, detalhou.

“Ele passou mal. Após três dias, ele foi intubado e assim ficou por 15 dias. Acabou falecendo. Nesse meio tempo, saiu o resultado do concurso e ficamos sabendo que ele foi aprovado. Mas não deu tempo dele saber, pois já estava inconsciente.”

Juliano faleceu na última sexta-feira (11) e o sepultamento aconteceu no domingo (13), no Cemitério Jardim da Paz, na Serra. O rapaz, ainda jovem e cheio de sonhos, deixou um filho de nove anos do primeiro casamento, e estava noivo, com planos de casar até o final de 2021.

PRF-ES prestou homenagem

Ao saber que o grande sonho de Juliano era ingressar na corporação, servidores da PRF-ES prestaram uma homenagem emocionante no sepultamento do rapaz. “Era o grande sonho dele, e receber essa homenagem foi muito emocionante para toda a família e amigos. Não temos palavras para agradecer”, completou o irmão.

Agora, o que fica para a família são as lembranças felizes de Juliano. “Temos que lembrar todos os momentos que passamos juntos, ele sempre com um sorriso largo, brincalhão e um amor enorme pela família. Ele nunca desistiu dos sonhos e sempre correu atrás. Fica nosso agradecimento especial à PRF-ES e aos agentes Wandir Soares e Bia Tomasi”, finalizou João.

Fonte: A Gazeta